Busca

By Jô

Esmiuçando qualquer coisa especial

OP #215: Young Sheldon

Comumente, cada vez mais continue lendo

Anúncios

OP #214: The Orville

Às vezes paródias podem funcionar continue lendo

O inexistente vela o inexistente

Choro a morte continue lendo

reflexoBYJÔ #134

REFLEXO DO POST “pausa_101.comcontinue lendo

pausa_101.com

Ou é oito ou é oitenta continue lendo

Machicídio

O machismo é como um veneno imbricado nas tradições. continue lendo

Am I just a man?

I am continue lendo

Pobre pode falar Inglês?

“Pobre mal sabe falar português, quiçá inglês. Pobre não fala com estrangeiro, só fala com o dono do mercadinho do bairro, o gari, o carteiro. E pobre lá viaja? Mal tem casa… Pobre quer aprender a reclamar da pobreza em outro idioma, é?” continue lendo

Quem disse que eu poetizo?

Será que inspiro?
Sabe, quando dou-me em escritos…
Será que são relevantes?
Essas palavras, são eternos instantes?

Será que lembro alguém de alguém?
Quando tento não me esquecer?
Será que meus arranjos vão além
Do desabafo do meu bem-querer?

Eu temo, mas persisto
Eu arraso quando duvido
Muito poema nem nasce
Ora nem confio no de praxe

Histórias de vitórias nas vitrines
Sobre corações e atenções
Eu me convenço de que ganho
Mesmo distante de todo esse ânimo

Respiro por ajuda de versos
Até os julgados mais pobres
Porque eles um dia deram certo
E eu penso depender da sorte
Enquanto o talento, aqui dentro, sofre
Querendo sair, mas nunca idolatrado
Ele é lenda só minha, sozinha, querida
Ora ecoa entre o espetáculo enlatado

O artificial é escudo
Que danifica também
O valoroso é oculto
É sede de alguém
É glória de ninguém

Blog no WordPress.com.

Acima ↑