Mais um meteoro matador de planetas
Mais uma ameaça pró nossa extinção
Mais uma estória rasa, sim, daquelas
Mais ciência pobre na ficção

Menos abordagens originais sobre o espaço
Menos caminhos interessantes contemplados
Menos questões físicas e filosóficas abraçadas
Menos interpretações variantes contempladas

É como se a fertilidade do assunto não existisse
A repetição do que já foi rebobinado é expertise
Escassez de originalidade nunca é preocupação
Outra coisa que não é rara é a falta de noção
Noção do ridículo, das proporções e probabilidades
Noção do enjoo gerado pela velha insensibilidade
Aproveitamento de eventos reais feito com banalidade

E tome sala de monitores
E tome padrão branco, magro nos atores
E tome personagem gênio, arrogante
E tome um monte de características pedantes
Tem o drama familiar que ninguém quer
Tem o romance adolescente, sim, qualquer
Tem as onisciências repentinas e flutuantes
Tem os surtos de coragem inverossímeis, alienantes

Você não perde por esperar
Cento e oitenta dias para viver
Os poucos que sabem não sabem lidar
Sonham em soluções, mas não sabem como as fazer

As frustrações de sempre retornam
Mal esfriaram em suas covas
Os clichês do século passado se renovam
Instituídos como riquezas ardilosas
As expectativas toda vez se comprovam
As decepções, assim, jamais são novas

O bom senso nem mesmo presente na introdução
A ideia é supérflua e nela falta validação
Utilizam elementos mais chulos para a execução
Assim fica fácil ingerir o produto com pouca disposição

Então, falemos, agora, da tal direção
Ou melhor, da sua completa carência
Os ângulos e cortes são desprovidos de significação
Tudo é amontoado, envolto em displicência
Da mesma maneira, o roteiro e o texto
Ambos, da premissa, escravos identitários
Sem nada que salve a produção, desde o começo
Apresentam-se e mantêm-se exemplarmente falhos
Resumindo, filmagens sem personalidade de falas fracas
Filmagens apáticas de intepretações de figuras cansadas
O foco sem propósito de rostos saturados e sem esforços
Mais uma polarização de inexistência de tentativa de inovação

Fotografia existe, nos sentidos mais amadores
Trilha sonora é apelativa, nunca agrega valores
O elenco é tão conformista, esquecível ao extremo
São tão dispensáveis, que seus nomes nem me lembro
Até o nome da produção que compõem é genérico
Pelo menos à coerência, mesmo negativa, há vinculo sério

CBS fazendo feio ao não fazer nada de novo
CBS escorregando na subestimação do povo
CBS fingindo criar o que há décadas não é novo
CBS retratando pela milésima vez um só tipo de povo
CBS e sua mania de não tentar adentrar este século
CBS e seu vício em sua concepção antiquada do que é certo
CBS e sua atitude infantil de dobrar-se para um gosto conservador
CBS e seus princípios que retardam a TV e entediam o espectador


Anúncios