Você quer mulheres vulneráveis e fortes?
Você quer mulheres de variados portes?
Você quer mulheres de oscilantes sortes?
Você mulheres entre vidas e mortes?
Você quer mulheres plurais, então?
Você quer mulheres reais, então?

Você quer representação sem forçação?
Você quer dramédia nostálgica?
Você quer entretenimento e comoção?
Você se revoltar numa viagem meio mágica?

Então, receba
Perceba, abrace
Sinta a variedade
O poder da simplicidade
O valor da boa representatividade
A força daquilo que é suave
A maestria em ir com sutileza
As formas variantes de indelicadeza
As inquietações, anseios, decepções
As transformações, ensejos, inspirações

Então, tome
Venha ao encontro
Olhe a estética convidativa
Toda típica do século passado
Toda charmosa, na fala, no figurino
No jeito como se movem, se destroem
Na graça com a qual colidem e se erguem

Você quer roteiro que não desperdiça ligações?
O mundo é pequeno, coincidências não são aberrações
Você quer desenvolvimento que guarda detalhes?
Os resultados são eloquentes, tímidos, mas elementares
Você quer espaço para atrizes fora dos moldes enaltecidos?
Aqui tem holofote não só para cor de pele, mas para etnia e biotipo

Abaixa, que é tiro
É soco, é compromisso
É envolvimento, irmandade
É sensação de valor de verdade
É a doçura do orgulho entrando
É o amargor da vergonha definhando
Levanta, que é mais do que tudo isso
É série que se preze, é produto bonito

Nem só de mensagem vive uma produção
Por isso, falas marcantes têm sua implicação
E nem adianta chocar apenas por ser estrondosa
Em mais de um momento e nível, tem de ser poderosa
Ainda que passe longe de brilhante e revolucionário
Não fica abaixo da linha do fácil, clichê, ordinário
Uma jornada leve, sem complexas dimensões
É grandiosa em suas fronteiras, sem confusões

Não precisa ferir os homens, generalizar
Pode fazer críticas sem gritar, hostilizar
Através da poesia das entrelinhas, apontar
Aos poucos, com sensibilidade, reconfigurar?
Não precisa ter o machismo didático, flácido
Pode em atos ligeiramente inflados dramatizá-lo
Calma, com o formidável faz-se até o improvável
Calma, com empatia até o mal ganha a tal sinergia
Viu? É possível caminhar com o progresso, com sucesso
Fica mais atemporal sem as conveniências dos excessos
Extremismos são vícios de contadores de estórias pobres
Evitá-los dá mais trabalho, dá melhores resultados. Olhe…

Mesmo com as velhas sequências de aprendizado
Aquelas montadas sob trilhas sonoras exorbitantes
O resto é de um esmero visível, tratamento confiante

Imersões psicológicas precisamente injetadas
Tornam a narrativa ainda mais bem fundamentada
A hibridez vai incorporando mais elementos agradáveis
Lentamente corroborando as sequências amigáveis
Chegamos mais perto do entendimento do pensamento
Sem a ocorrência de exposições extensas e meras
Mergulhamos sinuosamente em esclarecimentos
Em toques mínimos, consolidações nada pequenas

Netflix acertando, avançando
Não tão áspera, não tão voraz
Mas melhor do que fizeram um tempo atrás
Netflix em mais uma aposta fértil e sadia
Não tão afoita, não tão estridente
Mas louvável pela existência, certamente
Netflix e mais um de seus palcos femininos
Coletividade, pluralidade, ícones unidos e distintos


Anúncios