Pé na tábua, sangue no motor
Ganância e luxuria, prazer e horror
Estaticidade? Jamais, meu amor!
Diversão e frenesi a todo vapor!
Pé na tábua, mão na virilha
Engole a estrada, sobe a trilha
Beija o perigo, ninguém fica
A tensão só ascende, só estica

Asas ao vento, inocência ao relento
Vida por um fio, curtos pensamentos e pavios
Escassez de alento, sátira envolta em talento
Crítica social embutida em comédia surreal

De tão louca, não é que dá certo?
O alvo, de tão degringolado, belo
Freio mandou lembranças bêbadas
Audácias, largas, hesitações, estreitas

Picos aleatórios, efervescentes
Surpreendentes, eficientes
Picos de descobertas, de atitudes
Deveras práticos, rasos em amplitude
Cativantes pelo apelo das vozes indelicadas
Chocantes, pela insensatez sempre marcadas

Oi, corpos sarados, lábios molhados
Oi, falta de vergonha, tudo à tona
Nem pedem licença, apenas entram
Não se anunciam, apenas se aumentam
Mais besuntados, músculos, egos, contexto
Mais episódicos, absurdos, esmeros, texto
Oi, elos do nada consagrados, sexualizados
Oi, excesso de saturações, inequações

Os produtos são bombásticos
Os fatores já vêm preparados
Toda cena é a mais sedenta
Toda oportunidade se alimenta
Mesmo censurando, só o extremo
Ainda há muito que notar de obsceno
Em palavras, gestos, combinações
Inflamáveis ideais e motivações

Oi, antagonista principal caricatural
Ícone mais do que o protagonista?
A senhora é afrontosa, sem igual
Até a voz é emblemática e distintiva
Sabe ser ácido, malévolo, parte pra cima
Samba, zomba, tortura, inspira a chacina
Comanda as atrocidades sempre a sorrir
Seu lema é, a qualquer custo, fazer subir
A pressão da situação alérgica a padrões
O envenenamento de todas as emoções

Instinto de sobrevivência?
Senso de resiliência?
Intransigência?
À toda potência!

O dualismo central é combustível familiar
Os atritos são dispensáveis aqui e acolá
Mas no geral, é essencial, força menos histérica
Casa bem com a mesmice que compõe a estética
Falta adereço, uma identidade exagerada, atípica
A dupla principal só no nome e no destaque é vívida
De resto, confortos de representação, hipocrisia na pista

Coadjuvantes, no entanto, cada vez mais instigantes
Uns mais tímidos, outros mais loucos, todos alucinantes
Uns parceiros, outros traiçoeiros, todos além do topo
Engrenagens de valor faceiro, mas cruciais para o escopo

Mais uma série apocalíptica
Que se diferencia na premissa
Vai longe em vários aspectos
É OK, tem seu público seleto
Não passa vergonha tecnicamente
Mas também não há êxito estridente
O equilíbrio vem de fontes variantes
O conjunto é curioso, acachapante

Nada demais nas amarrações
Tudo demais nos incrementos
Jamais insossa nas fomentações
Frenética e esperta nos movimentos

SyFy acertando em cheio no que tem de melhor
O sem cordas formais, sem complexidade mor
Libertinagens na comicidade sem rédeas
Única integridade é a distorção de regras
SyFy mostrando que o ruim pode ser bom, sim
Que o peculiar pode resguardar o elementar
Que entretenimento pode vir da experimentação
Que basta ter solidez até na proposta mais sem noção


Anúncios