REFLEXO DO POST “ByMigos #2

Espero que não demore
Que eu só viva só um tanto
Aguardo teu cheiro, toque
Ainda não me embebedo em prantos

Balas de borracha, de açúcar, de cachaça
Vidraças blindadas, umas reais, outras deliradas
Se há coração batendo, há amor por mim crescendo
Dormências automedicadas, sobrevivência abafada

Quero o que nunca veio a mim
Antes que meu único futuro seja o fim
Desejo e creio não ser tão egoísta assim
Todo dia driblo um novo último estopim

Rezo com a fé que me resta
Ainda recluso em minha esfera
Brilho inversamente no espelho
Não ser capaz de amar é meu único medo

Finjo dormir
A solidão lambe meu corpo
Tremo ao descobrir
Outra deturpação de desconforto
Acordo sem nem cochilar
Ardência sonda meu olhar
Prometo não mais me diminuir
Mas é nisso que ainda me deixo existir

Anúncios