REFLEXO DO POST “Choque -36-

Unidos por um casual encontro
Da curiosidade com a familiaridade
Unidos entre relíquias e escombros
Colocando o ontem na atualidade
Unidos entre a realidade e sonho
O senso de conhecimento e saudade

Como nunca
Nos prendemos
Pelo tempo
Viajamos
Como nunca
Nos conhecemos
Prazer inédito
De valores e mistérios
Raiz de um
Lente do outro
Ambos felizes
Zelo no escopo
Sabedoria e paciência
Sintonia em resiliência
Cumplicidade de verdade
Coisa natural, de vontade
Laço de paz e harmonia
Longe de caos e agonia
Como nunca
Eu parei
Ela falou e se sentiu
Não se privou, não se calou
Diante de mim se viva se viu
Deixei-me por trás
Mais esmaecido
Contemplativo menino
De uma plenitude que jamais havia sentido

Ei, quem é bate à porta?
Quem é toca o coração?
Quem é reverencia história?
Quem é que finalmente dá as mãos?
Ei, esses olhos são brilhantes
Tão nossos, não mais fugitivos
Tão nossos, enfim compreendidos
Ei, eu sei, demorou, mas aqui estamos
Ei, eu sei, ainda bem que ainda há anos
Anos para reviver, anos para melhor viver
Anos para saber abraçar com união em primeiro lugar

Anúncios