REFLEXO DO POST “Voltas tuas de volta nossa

Então, não vá ao meu lado
Então, solidão não é passado
Sinta-se à vontade para ficar
Sinta a vontade de não correr
Parta do agora para outro desse
Parta a anormalidade de superar-se
Crie novas ilusões de malemolência
Insista na naturalidade da inconsistência
E quando perceber, mergulhe a mente
Reflita seu ritmo profundamente
Seu amor por você é indomável
Respeite-o com todo o louvor
Reverencie sua existência intocável
Dê a ele todo seu terno ardor
Como lince que desce dos céus
Seja a primeira a orgulhar-se do fel
Seja a primeira vez em você mesma
Seja a dor que lampeja imponente
Viva a verdade que não é contente
Para só depois andarmos novamente
Cada um no seu buraco, seu trono
Seu compasso, seu atraso, seu sono
Seu retrato do ideal ainda anônimo
Nosso abraço, nosso traço, nossos sonhos

Anúncios