REFLEXO DO POST “refraçãoBYJÔ #11

Volta, sem jamais ir
Vai, ainda fica aqui
Não tem manual
Sempre pessoal
Dói, sem corroer
Arde, sem ferver
Mexe tudo, e nada
Deixa a alma calada
Bandeira insossa à beira
Da estrada sem fronteiras
O que se quer é tão seu
Tão puro desconforto seu
Turbilhão de falta de fé cortante
O pior dos desafios, inconstante
Mistura do que nunca se pediu
Só tem um nome… vazio

Anúncios