Mais uma distorção
Em forma de inovação
Corroborada pela noção
De uma nova contemplação

Uma história derivada
De uma história ainda contada
O interesse nasce junto com a ideia
Não se sabe se haverá palmas ou plateia

É preciso
Mais que tudo
No atual, absoluto
Se sustentar bem
Coerentemente, ir além
Não depender do passado
Não se aproveitar dos fãs
É preciso, desde o começo
Saber nutrir o esmero, o apreço
Porque não basta se multiplicar
É preciso, qualidade, priorizar
Se não for assim, melhor nem iniciar

Mesmo importando certas características
É necessário haver mais que uma lista
Não basta, também, trazer o querido
Se ele é não trouxer novo perigo consigo

E o que mais preocupa é o tal do carisma
Por que ele não é achado em qualquer pista
Se o santo não bate, o choque não choca
Se o brilho não impacta, a atenção morre

O calor da estreia se dissipa e pronto
É melhor trazer mais do que já foi feito
É melhor que não seja apenas mais um encontro
É melhor que sua existência tenha bons preceitos

O que acontece aqui
Com toda a violência
E considerável malemolência
Não pode continuar assim
Porque não é suficiente
Não há o que prenda a gente
Tudod feito não é inédito
E há coadjuvante chamado “Tédio”

Diálogos quase parando
Desmascaram o vazio
Raramente inspiram ânimo
Caráter expositivo, nada sutil

Realmente, não há saída
Para a ferida que se sabota
Irrelevância a perder de vista
Insensatez que se renova

A apresentação
Coitada, não funciona
É pura enrolação
Chapada, não emociona
Os riscos não soam surreais
As ameaças, rasas demais
A apresentação peca
É inconsistente à beça
Não cumpre com a base da promessa

Os protagonistas
Antipáticos, quaisquer
Figuras baratas, frígidas
O homem e a mulher
Não são nada especiais
Não fazem nada demais
Entre tantos dramas assim
A única torcida é pelo fim
A experiência que eles provocam
Nem ensaia ser um pouco original
Os pontos que eles costuram
Os levam a desfecho só banal
A interação entre eles é fabricada
E isso sempre fica na cara
Porque não há pilar respeitável
Porque não há emoção palpável

Os truques vergonhosos
De câmera e efeitos sonoros
Almejam ser ágeis e ácidos
Em segundos, inúteis e flácidos

Ah, tem um bônus
O que cobre a cota dos negros
O que volta dos mortos
O que é o típico alívio cômico
Ah, nada cola, nem por um segundo

Fotografia nada memorável
Manobras narrativas aleatórias
Equipe de forças extraordinárias
Tudo de sempre, do mesmo jeito
Nada que faça os olhos reluzirem

Nada que trace identidade valiosa
Nada que enalteça o talento inexistente
Nada que remeta a uma produção primorosa

NBC se aproveitando
Indo pelo caminho mais fácil
Trazendo uma receita desagradável
Na expectativa apenas de fisgar
Falhando miseravelmente
NBC querendo tirar leite de pedra
Esperando um retorno estático
Abusando do sucesso sem razão
NBC e suas atitudes de TV aberta

Tanta história original sem espaço
Tanta história sem criatividade estrando…



Anúncios