É fácil sentir
Ser fisgado, sim
A empatia sutil
Pode ir a mil

O protagonista
Em trajeto masoquista
Quanto menos saídas
Melhor é a pedida

Mas é meio inviável
Torcer por alguém
Tão flácido, dispensável
Que só veste as pelejas
Que não as vive realmente
Assim a dor não é decente
A base fértil fica decadente

Ainda por cima
Há fraqueza na vítima
Não a que se almeja
Não a que se lamenta
Ele é branco e hétero
Ele é sem talento
Não fede, nem cheira
Nem de longe, nem de perto
É levado pelo movimento

Em todos os segmentos
Entregador nada estupendo
Ele é somente veículo genérico
Não traz, não tem primor estético
Sua marca nunca dá as caras
Suas jogadas são apenas jogadas

O texto tem seu valor
Instiga com certo fervor
É consistente, coerente
Na comédia e dramaticamente
Só que isso não é suficiente
Pois metade da força não chega
A graça não aterrissa eficientemente
Porque não há sabor nos ingredientes

Cadê mais personagens?
Cadê mais personalidades?
Uns extremos fariam tão bem
Talvez fariam a série ir além

O ritmo é outro solavanco
Quem dera fosse momentâneo
Mas é pleno, forte desengano
A duração trai o conteúdo
A extensão apodrece o fruto
A tinta seca e esmaece
Que interesse prevalece?

A narrativa, no entanto
Anda bamba, aos trancos
Não sabe onde põe os picos
Logo, são chocantes, não ricos

O defeito não é o escopo
Nem a locação, mas o esforço
Não há um intuito respeitável
A escolha dos fatores é deplorável

A velha traição
O velho sonho vazio
Os breus de uma vez
O coração todo partido
E não há pausa para isso
Não há um choro crível

A fotografia
Em certos instantes
Requer moldura
De tão vibrante
Até à noite
Mas também derrapa
Quando não enquadra
Os lados da cena completa
Com estranheza esperta

O coadjuvante
Olhem, só, cativante
Mas do que o outro
O que não merece o topo
Mais engraçado
Mais carismático
Mais espontâneo
Olhem só, quem diria
Leve megalomania
Olhem só, não se esconde
Apenas aconselha, responde
E nunca é pouco demais
E sempre é muito sagaz

Nudez gratuita
Nudez repetida
Nudez imatura
Nudez de mentira

HBO errando
Ninguém é perfeito
Mas as comédias, atualmente
Têm sido fiéis aos defeitos
Não só isso, deficiências
Falta de real sensibilidade
Assim, não vale a pena
A lentidão se torna futilidade
HBO pisando na bola
Com mais uma quase história
Desta vez, nem a ideia é boa
Todo o produto parece à toa


Anúncios