REFLEXO DO POST “Choque -29-

Chuva minha
Minha chuva
Que calmaria
Que coisa nobre
Que tristeza pobre
Nada sinto
Nada além
Não realmente
Tudo vibra
Diferentemente
Esmaece
Neutro, fico
Realmente
Porque te tenho
Há paz alienígena
De poucos dias
De sinfonia
Dos teus
Pingos, trovões
Batidas, luzes
Mil sensações
E nenhuma
Só eu
Só a gente
Só a chuva
Chuva?
Cadê?
Eu?
Aqui…
Seco
No atrito
No mormaço
No perigo
Na saturação
Na desilusão
Sem chuva
Para me abraçar
Para me calar
Para me parar
Para me lembrar
Da chuva
Do desabafo
Em mim
Sobre mim

Anúncios