REFLEXO DO POST “Poema qualquer (30.1+1)

Só um detalhe
Melhor que tantos males
Parece maior unicamente
Planta medos incandescentes
Recuar é respirar, reconsiderar
Repensar é reafirmar, reconhecer
Não adianta querer se negar, burlar
O que é verdade não pode deixar de ser

Ô, preconceito
Se liga, otário
Teu lugar é no passado
Tu é mais do que ultrapassado
Ninguém te convidou, não
Cai fora, vaza, vacilão!
Tu só machuca a evolução
Faz o povo andar na contramão
Tem tanta burrice na tua insistência
Tua onda já não é tendência
Vê se vira curiosidade, antiguidade
Larga a realidade, atualidade
Vá para ficção de época e pronto
Saia da minha casa e ponto
Já não aguento me esquivar
Eu só quero, sem medo, me expressar
Ao contrário de você, quero paz
A inclusão cura, o respeito satisfaz
Tua presença não constrói nada belo
Até tua recorrência é preguiçosa, sem esmero

Quando a próxima chuva cair
Eu quero me colorir e sorrir
Deixar a mentira escorrer
Sentir a verdade florescer
Por favor, abre a porteira
Minha felicidade não é brincadeira
E não é fase, não é capricho
Não sou menos digno por causa disso
Vá embora antes que eu murche
Deixe de ser o mais amargo dos embustes!

Anúncios