Brinquemos com misturas
Buscando novas excitações
Enalteçamos várias loucuras
Reaproveitando velhas visões
E os gêneros se conversam
Numa organização inusitada
Primores inéditos se revelam
Numa manobra bem executada
O horror perde algumas agonias
A comédia é elevada ao céu
Com toques de megalomania
A banalidade é o melhor véu
Porque assim, nos permitirmos rir
Até daquilo que parece mais surreal
Porque só assim, ainda nos fazem rir
Ao testemunharmos algo fora do usual

O maior pecado aqui
É a relação com o bom senso
Quando não se tem rédeas
O ridículo, belo, vira dispensável
O alento desce pelo ralo
E tudo fica contaminado
Mas por enquanto, tudo bem
Um início bambo não condena ninguém
Vejamos quais fôrmas são adotadas
E se perdoamos a já dissertada falha

Mas é sempre interessante
Acompanhar jornada de iniciante
Seja em começos ou recomeços
A animação é sincera e constante
E o que é mais louvável aqui
É a que a série é meio feminista
Tira a mulher da posição de recuo
Transformando-a em outra pessoa
Dando-lhe coragem para ser feliz
E ainda utilizando padrões absurdos
Tudo com a desculpa da estética
O que não sai como forçado, mas astuto
E parte das piadas nas entrelinhas
Está na forma como o marido reage
Em como ele pega carona na viagem
Em como ele absorve a nova voltagem
Em como ele lida com as novas vontades
Em como ele vê sob outra roupagem
É tudo uma quebra de conforto
Uma curva brusca na monotonia
O mormaço de um estranho fogo
O nascimento de toda uma harmonia

A fotografia também sofre atentados
Tem seus cinzas e pastéis violentados
O vermelho entra potente, maliciosamente
Salta aos olhos, todo especial, atiça a mente

Coitadas das transições
Não são das melhores
Sua falta é escolha mais sábia
Faz as discrepâncias serem menores
É que o desleixo está nos cortes
E nos movimentos intragáveis
Mas a oscilação continua coerente
Quando elas se tornam mais sagazes
Lá pelo último ato do episódio
Quando o sangue começa a ferver
Quando o extraordinário desencadeia
É aí que a montagem gera prazer

Os personagens adolescentes
Não podiam ser mais atraentes
Fogem da beleza idealizada
Entregam humanidade e mais nada
Não precisam ser sarados, peitudos
Já são inteligentes acima de tudo

Alguns ajustes precisam ser feitos
Porque mesmo a premissa sendo boa
Ainda faltam intrusões em conceitos
Se o nome de uma cidade vem no título
Que saibamos, com força, a razão disso
E se um casamento vem bem no centro
Tenhamos mais credibilidade no relacionamento!

Netflix… Não tão apaixonante
Mas o elenco tem poder inegável
A série pode não ficar acima da média
Mas tem que ter picos de dramédia
Netflix… Apostando na diversidade
Deixando escapar algumas essencialidades
O primeiro episódio poderia ser maior
Ou, quem sabe, mais ágil na evolução
Talvez o universo nem seja maior
Talvez seja apenas essa leve ilusão


Anúncios