REFLEXO DO POST “Choque -24-

Me diga
Os porquês
De eu só saber
E nada poder fazer
Mesmo que eu tente
Tudo em mim me prende
E a liberdade é tão alheia
Só dos meus devaneios
Toda vez que eu falho
Volto a me questionar
Penso não poder mudar
Mas me engano e repenso
Vejo que sou outro eu
E que toda outra vez
Não é como a anterior
E que se eu ainda persisto
É porque nem tudo está perdido
Creio que minha vida vale algo
Mesmo que me digam o contrário
Não quero ser mártir nem símbolo
Quero ser meu, enfim, meu alento
Quero escrever minha simples história
De quebra, bagunçar minha glória
Não serei mais devoto de ordens puras
Minha beleza está em minha loucura
Ninguém sabe os picos de minha conduta
Não me entregarei a extremos nunca
Porque o melhor não é ter uma totalidade
Mas velejar pelas oscilações das verdades
Como fim, minha incrível infinidade
Mas tudo isso ainda é suposição
Morro aos poucos em mim
Ainda sou minha maior prisão

Anúncios