Estranheza que retorna
Em boa, atraente forma
Apelativa para uma certa audiência
Nada peculiar em como se apresenta
Depois de mais de uma década em coma
Figura jovial volta a nova sociedade
Com mistério que instiga e estronda
Inspira uma respeitável curiosidade
Por enquanto, foge do cúmulo da banalidade
Se distancia meramente dos ápices de irrelevância
Por enquanto, é firme em sua amplitude consciente
Não acelera o ritmo, não desrespeita a concordância

Os velhos flashbacks, aqui bem utilizados
Possuem uma estética divergente do usual
Quentes, turvos, oscilantes e bem posicionados
Não são aleatórios, logo, têm bom efeito conceitual

A fotografia peca ao exagerar nas linhas de luz
Mesmo sendo mais uma simbologia ótica sagaz
Já que é eficiente nos questionamentos que conduz
Se fosse mais estratégica, seduziria bem mais
Mas embora seja um erro de bom senso
Não mancha muito o rumo da simples trama
Representa um amistoso, válido alento
Não incendeia com charme, mas sustenta uma chama

Trilha sonora, eletrizante, chocante
Brinca com tons ásperos e deveras excitantes
Sabe construir uma atmosfera catártica
Eleva as atuações a convicções mais ávidas
Tirando-as da comodidade de olhares vazios
Poupando-as de gritos em todos os caminhos
Dando-lhes uma certa profundidade
Abrindo alas para uma certa genuinidade
Nada estonteante, apenas sutil admirável voracidade

O roteiro é bem inteligente
Aproveita as nuances levemente
Com condutas em traços honestos
Satura emoções e aflora gestos
Instala textura robusta na história
Dando-lhe camadas que se relacionam
Transformando-lhe em uma básica joia
Não é nada demais, mas é algo vibrante
Não faz a gente perder o fôlego ou cair da cadeira
Mas é sólido o suficiente para ficar na estante
Resumindo; não é só informação dada, baboseira

O vilão é guardado para depois
Manda os capangas, os tentáculos
Com maldades bem feijão com arroz
Pincela a magnitude dos obstáculos
Porrada, ameaça, punho, avanço
Estrada, comparsa, abrupto ranço

A mitologia mal é sedimentada
Mas já mostra potencial e garra
Com elementos místicos e alienígenas
Vigorosamente, suave ficção científica
Funciona bem nesses termos ambíguos
Tem uma maciez que não enjoa facilmente
Não desenha objetivos muito longínquos
Não se perde em suas engrenagens ridiculamente

Alguns vícios de roteiro prevalecem
Como amigo negro, braço direito
A amnesia e as conveniências
Mas isso é o que mais se espera
A ingenuidade e as dúvidas e os engasgos
Aqui falta rima, falta satisfação, e pronto, e ponto

Freeform…
Ainda é cedo
Mas tem apreço
Ainda há sede
Mas eu cedo
Dou voto
Mas não permaneço
Indico para alguns
Dou um “6” sem medo
Parabéns pelo esforço
Não o transforme em estorvo
Freeform…


Anúncios