Risada rosada
Que racha a desgraça
Desfaz tópico ácido
Deixa disso, menino
Só vem, só me abraçe
Cheire e beije e mais nada
Não se preocupe com a estrada
Antes, se banhe na gaitada
Depois, de língua, me arrebate
Fira o céu da minha boca
Misture todo prazer ingênuo
Dentro de mim, não sou mais pequeno
Tens a mim assim neste ato pleno
Visceral e íntimo, incontrolável
Faltam adjetivos memoráveis
Então vem, vem e faz aos poucos
Calca a vida de nossos versos
Seja fiel, trêmulo, honesto, esperto
Lá se vão dores de questões dos outros
Em nós dois só carinhos vívidos, não mais esboços

Anúncios