REFLEXO DO POST “Choque -15-

Não adianta
Eu tenho que fluir
Tenho que me encontrar
Nos tropeços, ascender
No silêncio, me expressar
Honestidade é verdade
Não importa como venha
Se é minha, tenho que vesti-la
Seja piscina de algodão ou chuva de lenha
A correnteza vai me levar
Quer eu nade ou não
Quer eu a abrace ou não
Quer eu a sinta ou não
Quer eu a vista ou não
É simples, é minha, é nossa equação
Não é dilema de fim de ano, não
Não é novo programa de televisão
Não é novo truque de perfeita ilusão
Pode ser a maior e mais pura inspiração
Mas primeiro, tenho que deixar de ser minha prisão
De uma vez por todas, me abrir para meu coração
Não adianta resistir
Não adianta fingir
Não adianta…
E aí? Vou me saber ou me foder?

Anúncios